Melgaço # dia 33/40

Boa noite exploradores,

Hoje foi um dia dedicado à cultura da vila de Melgaço.

A Pousada de Juventude de Melgaço é muito propícia ao relaxamento. Situada no meio do mato, com enormes pinheiros e muita vegetação,os quais acabam por criar um ambiente calmo e de privacidade.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A 20 metros da pousada encontra-se uma piscina magnífica com jatos de água e cercada por um grande manto verde. Mesmo ao lado encontra-se um lago calmo, fazendo o contraste com o azul da piscina. A piscina é um espaço que pode ser também usufruído pelos utentes das Pousadas de Juventude.

Bem, depois de me maravilhar com a calma desta pousada, decidi partir para a exploração. Passeei pelas praças repletas de esplanadas, pelas ruas estreitas, pelas casas de pedra por onde se viam as ramadas a descaírem pelas paredes a baixo. Muito característico desta zona! Ao longo do passeio deparei-me com troços de muralhas e túneis que ligam vários pontos da vila. No fundo de uma rua encontra-se a Igreja Misericórdia. Perto desta, situa-se o Museu do Cinema de Melgaço, cujo fundador foi o jornalista Jean Loup Passek. Apaixonado pelas gentes de Melgaço, o mesmo acabou por ganhar um carinho muito especial por este Concelho. Todas as peças expostas neste museu foram doadas por Jen Loup Passek à Câmara Municipal. Histórias bastante  interessantes foram sendo contadas ao longo da visita. Uma viagem no mundo do cinema desde o seu surgimento até à atualidade.

O seguimento do museu parte dos materiais mais antigos, datadas do séc. XVIII e séc. XIX, como as “lanternas mágicas”, que projetavam as imagens e a partir daí a história ia sendo contada. Com esta peça a imagem projetada era desenhada à mão em vidro. Com a evolução do cinema, o vidro passou a ser substituído por fita, permanecendo mesmo assim o desenho à mão. Para além destas peças, também o “zootrópico” ou “roda da vida” estão expostos neste museu.

Uma curiosidade interessante e com uma certa coincidência foi o facto de o primeiro filme a ser estriado no mundo, em 1908 pelos irmãos Lumiére, ter sido no mesmo ano que Manoel de Oliveira nasceu. Em homenagem a este grande realizador, o Museu de Cinema decidiu expor no 2ºpiso uma exposição relativa à sua história de vida e carreira profissional. É uma exposição que apresenta excertos centrais da sua história de vida, como momentos gloriosos em fotografia. Os cartazes dos filmes também são expostos ao longo da sala, assim como um breve documentário.

Após esta visita dotada com um certo patriotismo, segui em direção à Torre de Menagem. Ao entrar nas muralhas do castelo, observei uma altiva torre situada no centro. Subi, subi e subi até chegar ao topo. Umas vistas magníficas sobre Melgaço e sobre tudo o que envolve esta vila. Uma vegetação tão verde em redor dos avermelhados telhados.

Depois de apreciar a beleza natural de Melgaço, dirigi-me até ao Museu Espaço Memórias e Fronteiras, mais conhecido por Museu do “Emigrante e do Contrabando”. Segundo o que os diversos excertos expostos nas paredes dizem, 80% dos habitantes desta vila são emigrantes. A emigração foi o fenómeno mais marcante da história do concelho de Melgaço, devido ao decréscimo e envelhecimento da população. No entanto, a quantidade de pessoas que percorreram o mundo e optaram por regressar, acabaram por trazer novas culturas, novas experiências e novas ideias que permitiram aos que cá ficaram evoluírem também.

Bem, depois de absorver tanta história e cultura, decidi inclinar-me para a gastronomia. Como não poderia deixar de ser, dirigi-me até ao Solar do Alvarinho, que no passado dia 8 de Agosto comemorou o seu 18º aniversário. E por terras de Alvarinho, a palavra-chave é só uma!  Na exposição do Solar é possível observar os produtos dos 25 produtores que integram este projeto. Segundo as palavras do Sr. Augusto Sabino, o Solar funciona como um “TGV dos produtores”, ou seja, dá velocidade à marca para crescer.

Este espaço, também referido como “casco histórico” é composto por dois pisos, sendo que o de cima era o  antigo tribunal e a sala de audiências, e em baixo era a cadeia. Um espaço muito respeitado pelos seus habitantes!

Neste espaço participei numa prova de vinhos com o Sr. Augusto Sabino, que pertence à confraria do Alvarinho e é considerado, pelos residentes, o maior promotor desta marca e da região!

Bem, hoje foi um dia bastante preenchido e diversificado.

Para terminar o dia em beleza, fui surpreendido com um belo repasto na “Adega do Sabino”. Com a fachada frontal de caras para a praça da Câmara Municipal, a Adega do Sabino possui uma esplanada muito acolhedora e tentadora nestes dias de verão! Um ambiente muito familiar, com um atendimento fantástico caracterizam este espaço! Alberto Sabino,proprietário, é sem dúvida um verdadeiro embaixador de Melgaço! Saber receber está no seu ADN! Sejam clientes habituais ou novos clientes, Sabino tem o mesmo tratamento com todos! De portas abertas há mais de 21 anos, este local torna-se a melhor opção para quem procura uma óptima carta de vinhos e de sabores característicos desta região! Os comentários no TripAdvisor e as selfies postadas pelos clientes na página de facebook do restaurante, assim o provam! Recomendo uma visita seja em grupo ou até mesmo individual! Sozinhos nunca vão ficar!

Amanhã estarei por Vilarinho das Furnas, Gerês! Aguardo pelas vossas sugestões!

Juntos, vamos #explorarPT!

Rui Manuel Ferreira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s